12.212 cursos gratis
8.329.017 alumnos
Facebook Twitter YouTube
Busca cursos gratis:

Redação em português

Autor: GONZALO PEREZ ALARCON
Curso:
7,17/10 (6 opiniones) |13729 alumnos|Fecha publicación: 23/06/2006
Envía un mensaje al autor

Capítulo 4:

 Coerencia e coesao

Muitos estudantes se atormentam com essas duas palavras. Mas, para ser mais preciso é necessário defini-las, pois ajudaria na compreensão dos discentes para elaborar um bom texto. Quando se fala de texto, fala-se de unidade a qual tem relação com coerência e coesão.

Uma definição de coerência seria unidade de sentido; e coesão, "amarrar" as idéias. Já que a primeira depende da ordenação das idéias; ou seja, do plano do texto e o tema proposto; também dos argumentos, é dizer, da clareza. Clareza consiste em ler o texto, e compreender como está organizada a produção escrita. Quando ele vai redigir, deve planejar as idéias e a intenção comunicativa; portanto, ser claro é como ver o mar que está limpo e olhar os peixes. Então, ser claro é ser coerente com a ordem das palavras e vocábulos, e dizer, não se contradizer, não confundir o leitor; ou seja, não pôr enunciados desconexos.         Segundo Massaud Moisés:  

A lógica externa implica clareza unívoca das palavras, isto é, estas devem significar uma e uma só coisa; por sua vez, a clareza supõe o emprego da ordem direta: evitar-se-á a ordem indireta abstrusa, as violentas inversões (ou hipérbato) [...] (MOISÉS, 1961, p.145)    

Isso que dizer, que o raciocínio nós levará a significados claros com emprego de sujeito e predicado; portanto se for o contrário, predicado e sujeito essa ordem levaria a confundir o leitor.

Ser claro é pensar para que tipo de leitor está escrevendo; ou seja, para crianças, adolescentes, adultos, advogados, arquiteto, filósofo, etc. isso quer dizer, ser empático, perceber como eles sentem e entendem.

Então, para escrever sobre coerência, o discente deve estar atento que não haja dois interpretações, se ele, como leitor entende o que lê, pode continuar escrevendo. Mas, se as informações não harmonizam umas com as outras, o texto é incoerente.   

A incoerência é devido que o estudante sai da idéia principal ou palavras-chave, da organização lógica das idéias; e do conhecimento da realidade.

Em outra citação:  

[...] um texto resulta incoerente quando há falhas na continuidade de suas partes, quando as palavras aparecem de forma gratuita. Não é raro ouvirmos alguém dizer que determinada palavra está imprecisa, não diz com exatidão aquilo que pretendíamos dizer. A imprecisão resulta da falta de motivação entre as palavras que se sucedem numa cadeia  em que um elo foi rompido. Para evitar isso, elas devem manter entre si um vínculo muito estreito. (VIANA  et.. al, 1998, p.18)    

Quando não se organizam as idéias e as palavras adequadas para o texto, a redação fica confusa; para isso o discente tem que ler bastante para memorizar as palavras e assuntos de outros autores para motivar-se a si mesmo e escrever coerentemente. Para o texto ser coerente, é necessário que haja uma ligação significativa entre diversas partes; portanto, tudo tem que se escrever logicamente. Então, as classes de palavras, como os substantivos e os verbos devem unidos não apenas para somar idéias, mas também para ter base para que haja sentido no texto.

Há um processo de expansão da palavra chamado de associação. Nesta, a partir da palavra-chave se expande o texto através de verbos na terceira pessoa do singular, por exemplo:

chegou  

 o recebem  

 o atendem   levam sua mala   ficou bravo   vai embora   elogia a equipe

Hóspedeà chegou 

  O recebem 

  O atendem            Levam sua mala          Ficou bravo            Vai embora            Elogia a equipe  

Esta idéia e baseada no livro: Roteiro de redação, de Carlos Viana, et. al.  

A segunda explicação é sobre coesão. Mas, como "amarrar" as idéias no texto, através das ligações entre frases e parágrafos? Segundo Garcez (2001, p, 115), "quando os mecanismos de coesão textual não são bem utilizados, seja dentro do período, seja entre os períodos ou parágrafos, o texto se prejudica". Esses tecidos ajudam a ter relação na hora de dar significado ao ato de escrever. É complicado relacionar todos os problemas de coesão. Agora, para entender a coesão em profundidade:  

A coesão, no entanto, não é só esse processo de olhar constantemente para trás. É também o de olhar para adiante. Um termo pode esclarecer-se somente na frase seguinte. Se minha frase inicial for Pedro tinha um grande desejo, estou criando um movimento para adiante. Só vamos saber de que desejo se trata na próxima frase: Ele queria ser médico. O importante é cada enunciado estabelecer relações estreitas com os outros a fim de tornar sólida a estrutura do texto. Mas não basta costurar uma frase a outra para dizer que estamos escrevendo bem. Além da coesão, é preciso pensar na coerência. Você pode escrever um texto coeso sem ser coerente. [...] (VIANA, et. al, 1998, p.28).    

Isso quer dizer que para fazer qualquer texto, deve-se estar atento à coesão e à coerência. A turma tem que saber como ligar a frase seguinte à anterior, ou seja, não perder o fio do pensamento; e ainda, na frase não ter duplo sentido; para não ter incoerência.

Segundo Garcez (2001, p, 112-114), os recursos mais importantes para coesão são: preposições, conjunções, os pronomes pessoais, os tempos verbais; e além dessas formas gramaticais, existem outras, como: referencial, lexical, por elipse, por substituição.

Então, a coesão referencial é quando faz referência a alguém ou coisa do próprio texto, e são utilizados pronomes pessoais, possessivos, demonstrativos ou expressões adverbias; a coesão lexical é quando tem uma certa carga de redundância, ou seja, repetição de idéias. Isso se faz, através dos sinônimos ou expressões equivalentes conhecidas pelo leitor; a coesão por elipse é, quando se omite como: pronomes, verbos, substantivos e frases inteiras e estão implícitos. Muitas vezes é marcada por vírgula; a coesão por substituição é quando substitui nomes, verbos, períodos ou largas parcelas de texto por conectivos. Alguns exemplos: tudo o que foi dito; diante do que foi exposto; em vista disso, a partir dessas considerações.  

No seguinte capítulo, explicarei sobre a criatividade do texto.

Capítulo siguiente - A criatividade do parágrafo
Capítulo anterior - Planejamento do texto

Nuestras novedades en tu e-mail

Escribe tu e-mail:

Al presionar "Recibir" estás dándote de alta y aceptas las condiciones legales de mailxmail

Cursos similares a Redação em português


  • Vídeo
  • Alumnos
  • Valoración
  • Cursos
1. Portugués
El Portugués es la sexta lengua más hablada en el mundo. Una lengua que se extiende... [10/09/03]
347.608  
2. Prova de vinho (Cata de vino)
Introdução à prova de vinho em boca. Exemplos práticos e rápidos que lhe permitem... [22/09/05]
830  
3. Curso de composição
Curso de composición en portugués. Aprende a componer de forma correcta con una... [28/09/06]
34.172  

¿Qué es mailxmail.com?|ISSN: 1699-4914|Ayuda
Publicidad|Condiciones legales de mailxmail


¿Recibir novedades de Portugués? ¡No te costará nada!